domingo, 15 de julho de 2012

Oração da JMJ Rio 2013

Na noite desta sexta-feira, 13, jovens do mundo inteiro, em especial os cariocas, puderam conhecer a Oração Oficial da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013). Os jovens estiveram reunidos no Centro da capital carioca para testemunharem sua alegria e vida de oração para a sociedade. Junto com eles, o arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, rezou, louvou, adorou e agradeceu a Deus por mais esta graça de poder ter uma oração que possibilitará a unidade e a intercessão de todo o povo de Deus em favor da JMJ Rio2013.

LIVRES PARA EVANGELIZAR
Depois de ter convivido com seus discípulos, Jesus os envia, dando-lhes orientações práticas; são encaminhados dois a dois, recebem poder sobre os espíritos impuros e devem estar despojados de tudo.
Os apóstolos são chamados e encaminhados à missão por Jesus – a iniciativa é sempre dele. O apóstolo ou evangelizador é um instrumento nas mãos de Deus, que se serve de cada um para renovar a Igreja e para levar sua palavra aos quatro cantos do universo.
São encaminhados dois a dois. Isso, além de assegurar o apoio de alguém, simboliza a dimensão comunitária da missão; ela não é algo simplesmente pessoal. O trabalho missionário se faz em conjunto. Os que se dedicam à evangelização, portanto, devem viver em harmonia e reconciliados. Para haver essa harmonia, é necessário que cada um supere os preconceitos contra o outro. A união fraterna entre os discípulos é importante para a eficácia da evangelização.
Os enviados têm poder sobre os espíritos impuros. Esta é a única autoridade que recebem: denunciar e combater as forças do mal, que degradam a vida humana e afastam as pessoas de Deus. Os evangelizadores, a exemplo de Jesus, podem e devem destruir os mecanismos que geram dependência, opressão e morte. Superando os “espíritos impuros”, o reino de Deus floresce. 
Jesus pede desapego de tudo o que é supérfluo. A eficácia da missão não depende tanto dos recursos materiais. A confiança na riqueza e no dinheiro representa perigo muito sério também para a Igreja de hoje. Jesus não despreza o uso dos meios materiais na evangelização, mas alerta para o perigo de confiar exclusivamente neles, de deixar-se condicionar e manipular por eles. O desapego dos bens implica também o abandono de ideias ultrapassadas e tradições superadas, que muitas vezes amarram o evangelho.
Segundo o Documento de Aparecida, todo cristão é discípulo missionário que deve estar sempre disposto a caminhar, pondo-se a serviço do evangelho e da comunidade. Sua missão é a mesma de Jesus: combater todas as formas de mal.
 
Pe. Nilo Luza, ssp

Um comentário:

  1. Oi Jonathan, vim lhe desejar uma ótima semana, abraços e fica com Deus!

    ResponderExcluir

Caso não dê conta de comentar com o seu email, você poderá comentar clicando na opção ANÔNIMO, só não pode esquecer de deixar o nome no final de seu comentário. Desde já, agradeço seu comentário e convido a voltar sempre.

Jonathan Cruz