quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Pequeninos do Senhor - Parceiros na Evangelização

Hoje tive a honra de receber o seguinte comentário: 


Jonathan Cruz, sou Presidente da Associação Pequeninos do Senhor. Você já conhece o nosso projeto?
Vou inserir o seu Blog como 'Blog amigo dos pequeninos', no nosso site www.pequeninosdosenhor.org, ok?

Quero deixar alguns recados pra você:
1- Quinzenalmente escrevo para a ZENIT.org - O mundo visto de Roma, você conhece esta agência internacional de notícias católicas? São textos de orientação catequética para pais e catequistas.
2- No nosso site, você encontra estes textos que poderá postar no seu blog, sempre lembrando de inserir a fonte, ok?
Parabéns pelo seu trabalho e quem sabe vamos implantar o projeto aí em Minas Gerais, na sua cidade.
Já temos o projeto em mais de 100 Paróquias e Comunidades no Brasil além de outros países.

Fique com Deus!
Um abraço fraterno... :)
Rachel Abdalla


É uma grande alegria perceber que a corrente da evangelização cresce a cada dia e para isso, basta o espírito de união brotar nos corações dos evangelizadores, sendo assim fortalecendo cada vez mais a corrente cristã.

Receita para uma catequese feliz!

    Se é que isso é possível...
    Mas vamos lá, vamos ser otimistas e acreditar que ela existe e está logo ali. 

    Enfim, como mudar a nossa catequese? Como "animar" nossas crianças? Como fazê-los gostar da catequese e da nossa religião? Como fazer os pais participarem? Como fazer da catequese prioridade para os párocos e demais lideranças?
    NÃO SE FAZ CATEQUESE COM CRIANÇAS SEM FAZER, TAMBÉM, COM ADULTOS.
    E quem são estes adultos? A família das crianças? Não teria mais “adulto” nessa história?    
    E como fazer catequese com a família? Inventar encontros de pais em que quase ninguém comparece? Inútil e frustrante.
    E olha que esse "povo adulto" pode ser até nossos próprios colegas catequistas...
    Colocar a tal "Catequese familiar" como prioridade. Bingo! Achamos o primeiro ingrediente necessário...
    Mas só se isso for REALMENTE levado a sério pela comunidade eclesial, senão não passará de mais uma "atividadezinha", inventada por catequistas que acham que ninguém tem o que fazer e amam ler documentos... Precisa-se envolver TODA a Igreja nisso.

    Para reforçar, coloco aqui uma coisa que diz o DNC (é, sou "daqueles"! Que não tem o que fazer e amam ler documentos, rsrrsrs...):
   "A Igreja transmite a fé que ela mesma vive e o catequista é um porta-voz da comunidade e não de uma doutrina pessoal." (DNC 39).
    Por aí se vê que não se faz nada SOZINHO! E que a Igreja não é “sua”, nem é “você”. Ainda mais se você é um simples catequista "ninguém" e o povo da coordenação também "dorme no ponto". Mas se você é da coordenação: tem o PODER! Ou deveria ter...
    Os coordenadores da catequese fazem parte do Conselho Pastoral e tem voz lá. Podem levar às demais lideranças os anseios, necessidades, aspirações, dificuldades, choradeiras, etc. e tal... Podem acreditar que se vocês contarem das experiências que estamos vivendo, eles nunca mais serão os mesmos! Terão pesadelos por semanas...
    Ah! E tem mais: "o catequista é um autêntico profeta, pois pronuncia a Palavra de Deus, na força do Espírito Santo.", isso ainda no 39. E no 41: "a catequese educa para a vida de comunidade, celebra o compromisso com Jesus”.
    Então? Por que ter medo? Vamos botar a boca no trombone. Profeta que se preza "profetiza"! Não tem barriga de baleia que esconda a gente. E muito menos vamos esperar crescer um pé de mamona em cima da gente...
    Tarefas da catequese: EDUCAÇÃO, INICIAÇÃO E INSTRUÇÃO.
    E vocês acham que isso é só pra criançada? Não, é pros adultos também. E deve começar na marmanjada que está na paróquia, que participa das outras pastorais, trabalha na paróquia, inclusive aquele que "reza" a missa... E que acham "lindo" o dia da Primeira Comunhão na comunidade, sem saber o quanto de sangue, suor e lágrimas você derramou pra isso...
    Eu penso que nada, nada mesmo, faremos sem que um verdadeiro “CONSELHO” se faça na paróquia, levantando todas as dificuldades pelas quais a catequese e com isso, a própria paróquia, passa. E disso depende o futuro da nossa Igreja e, mais grave ainda, da nossa FÉ na Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo. O tesouro da fé precisa ser recebido, vivido e crescido no coração de cada catequizando para que a Igreja cresça. E isso quem diz é o DNC também...

    Não basta que só "eu" sinta que temos problemas e que não estamos indo a lugar algum.
    Primeiro passo de mudança: Convoque a equipe de catequese da paróquia. Sente, avalie, exponha os “podres”, “lave a roupa suja”, só não bata em ninguém... Coloque no papel os problemas que a catequese está vivendo. Mas, PELAMORDEDEUS! Pelo amor que você tem à catequese: não engavete o relatório! Não deixe isso só no “falatório”, não faça disso só mais um "blá blá blá". Leve ao pároco, insista em colocar o Conselho Pastoral a par da situação. É para isso que ele serve. Não se faz reunião de conselho só pra tomar chá e discutir onde vai o dinheiro da festa.
    Não é possível que a paróquia não tenha espaço físico para acolher as crianças! Não é possível que você não tenha acesso a uma chave de porta! Não é possível que o pároco pense que "problema da catequese" tem que ser “resolvido pela catequese"! O primeiro catequista da paróquia é ele! E se alguém perguntar "e eu com isso?" Dê-lhe uma chulapa e pergunte: "Quer ser coordenador pra que?" Tem que agir e honrar a “camisa”!
    E se você não é coordenador nem do mural de aniversários? Paciência... PACIÊNCIA NADA! Vai já conversar com o coordenador (a)! Ou vai sofrer até a aposentadoria? Que, aliás, ouvi dizer, é deprimente... lustrar sibório, lavar sanguinho, manustérgio, trocar água e vinho da galheta... Ah, isso é tarefa de ministro! Pois é, então nem isso vai ter pra fazer...
    Esse é o primeiro ingrediente da receita:
    TRABALHAR EM COMUNIDADE. Chamar as lideranças pra "responsa"!
VAMOS LÁ! (Autora: Angela Rocha)

Leia o email que recebi de uma grande amiga que leu o texto acima ainda no blog da Angela Rocha.
"Boa tarde, Jonathan!!!  
 
Antes do comentário propriamente dito, gostaria de salientar aspectos que vou me ater para o comentário
a ser feito:
 
o  meu chamado a ser catequista  tem toda uma historia  em que me ensinou que todos nós passamos por uma experiencia  de vida em que  diferenciam  em um único aspecto :  com fé e sem fé.
 
eu felizmente e graças á minha querida mãe falecida)  que foi  com muita fé, fé verdadeira e com muito sofrimento, pois meu pai foi alcoólatra  e eu sou a caçula de 7 irmãos.
 
mas foi justamente este sofrimento que foi o suporte para  ter a presença  ativa de Deus em nossas vidas. Hoje digo com alegria e  convicção de que Deus é  através de Jesus Cristo, o meu melhor amigo, amigo de todos os momentos, só tenho que louvar por tamanho amor por mim e toda a minha família.
 
Nesta experiencia de vida,  procurei e a encontrei todo o ensinamento  cristão  que me trouxe uma maturidade em que posso  dialogar  com equilíbrio  os assuntos  de fé. sempre procurei  formação  em todos os níveis  mas jamais deixei de  estudar  em minha casa, sempre lendo livros referentes á catequese, amigos que 
me ajudavam e ajudam a esclarecer duvidas ......e isto é claro sabendo que a aprendizagem nunca acaba
e que também no sou dona da verdade.......
 
A igreja caminha,  santa e pecadora,  precisamos estar dentro dela, com todos os seus defeitos, procurando
compreender que a igreja proposta por Cristo  é a grande  realização  a conquistar por todos os cristãos católicos  onde quer que  vivam.... A igreja já passou por inúmeros momentos em que se pensa que ela poderia ter sucumbido, mas não, pois ela é  sustentada pelo  Espirito Santo.
 
A nossa amiga Ângela  tem razão, quando  grita  que a solução está na família, nos adultos, sem sombra de duvidas;  o clamor dela, foi sempre o meu clamor  e acredito que o é de muitos catequistas, muitos agentes de pastoral, pessoas convictas na fé,  não são comentários ao vento por pessoas que se dizem cristãos e que a qualquer vento, abandonam  o barco  na tempestade....
 
Você como pedagogo, concorda que os pais são os modelos  de educação, pois as mesmas  respiram as atitudes  do casal, são frutos  do ambiente familiar; hoje já é corriqueiro  saber que a formação humana
depende  dos valores familiares, incluindo os  valores  religiosos, salientando os cristãos.....
 
Por outro lado,  a igreja caminha  com convicções  de nossos representantes  hierárquicos  os quais
respeitamos  e por saber que tudo fazem para caminhar  com  os homens de boa fé  e que procuram
crescer na espiritualidade;  assim também foi comigo e hoje sou categórica em dizer que amo a minha igreja pois  conheço a sua doutrina, que contempla  toso os níveis  humanos,  respeita todas as crenças( dialogo inter religioso) e é procura  atualmente o ecumenismo......
 
Concordo com nossa amiga Ângela   que todos nós possamos ter as mesmas atitudes em sentar  e respeitosamente  e fazer das nossas reuniões, momentos de decisões  a serem executadas e não para ficar nas pautas  apenas para registrar  o acontecimentos das mesmas para a paroquia....
 
também tive meus momentos de contradição em reuniões mensais quer nível que fosse,  paroquial,  sub regional ou diocesana. mas sempre com coerência  sempre dentro do assunto, em favor ao crescimento  ao bom andamento  que levasse  ao verdadeiro  objetivo da comunidade : lugar onde encontramos  o aconchego
cristão,  onde  encontramos o ensinamento  de Jesus cristo  para fazermos de nós dos irmãos, do mundo,
tudo melhor.
 
Que este desabafo possa incentivar a muitos a mudar de atitudes  comodas  e levar a atitudes de respeito
á caminhada já percorrida e  levar a uma caminhada nova,  que é o que a igreja tanto sonha com a NOVA EVANGELIZAÇÃO..
 
A catequese  hoje com seus  inúmeros blogs  são exemplo de renovação da igreja,  eu que o diga ( imaginam a 25  anos atras)  é uma riqueza  dentro de muitas outras  conquistadas  pelo povo de Deus que caminha rumo ao reino definitivo  proposto  pela palavra de  Deus, é o grande sonho do Criador  que nos criou por Amor, verdade que só aprendemos quando nos propomos a caminhar  e ter o verdadeiro encontro  com Cristo - lembrando que  entre  os muitos lugares deste encontro com Cristo é a catequese, sacramento  que nos ensina e nos propõe uma vida nova, Vida  em Jesus Cristo.
 
Que nossa Mãe  Maria interceda por todos nós,  ajudando -nos a discernir o melhor caminho para esta renovação tao desejada.
 Ave maria, cheia de graça.....
 
Deus o abençoe hoje e sempre neste seu trabalho catequético,
 
abraços  catequéticos."

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Planos para catequese em 2013

Itinerário Catequético

“A Catequese é em processo dinâmico e abrangente de educação da fé, umitinerário, e não apenas uma instrução.” (CR 282).

O que seria afinal esse “Itinerário”?

Numa definição genérica, itinerário é a descrição de um trajeto a ser percorrido. Por exemplo: uma empresa de ônibus urbanos ao definir o itinerário de determinada linha, indica todos os pontos de parada do ônibus desde o início até o fim da linha. A esta indicação dá-se o nome de itinerário. Já um itinerário de turismo é um pouco mais elaborado: é um artigo que descreve uma rota por vários destinos ou atrações, dando sugestões de onde parar, o quê ver, como preparar-se, etc. Se a gente considerar os destinos como pontos em um mapa, o itinerário descreve uma linha que conecta os pontos.
Agora vamos considerar esta palavra na CATEQUESE.

“Um Itinerário Catequético é um circulo mais ou menos prolongado de encontros que integra uma ou várias temáticas (etapas, módulos, blocos) do mistério dentro do processo. Neste itinerário se inclui os conteúdos, as celebrações litúrgicas, a catequese mistagógica, a integração entre a comunidade e o compromisso apostólico.” Eu acrescentaria aqui ainda a dimensão família.

Isso significa que um itinerário é um PLANEJAMENTO, um mapa, um guia do caminho a ser percorrido. No caso da catequese, ele prevê objetivos a serem atingidos, conteúdos que serão explanados, ações transformadoras que se pretende e as dimensões celebrativas que darão suporte à catequese mistagógica.  

Assim temos que, uma simples instrução, é chegar e expor o conteúdo, sem ligação ou compromisso com as ações transformadoras e com a dimensão litúrgica da catequese, não se envolve a comunidade ou a família. Em contraponto, o Itinerário prevê as conseqüências do que se ensina, na vida e na missão do catequizando, como isso será percebido e colocado em prática.

Falando mais na prática, um itinerário catequético PRECISA observar os seguintes pontos: primeiro observar a quem ele se destina (crianças, adolescentes, jovens, adultos, deficientes...); em seguida ver os objetivos da catequese (Sacramentos, formação cristã... ); verificar por fim, o tempo que demanda esta ação e a preparação dos “guias” (catequistas, introdutores) que irão trabalhar na condução do processo. Só aí então, construir o “roteiro/itinerário”, observando o seguinte:

- Conteúdos (temas e formação bíblica);
- Celebrações litúrgicas e mistagógicas (missas, entrega de símbolos, retiros, orações, Via sacra...);
- Vivencia comunitária (família, comunidade, festas, sociedade);
- Dimensão missionária (compromisso apostólico).

Enfim, o Iitnerário descreve o que se fará, EFETIVAMENTE, para se trabalhar o processo catequético, o "como" chegar a cada um dos objetivos (pontos), que se pretende, ou seja, o ensino da fé e a vivência cristã  eclesial.


Esse texto será nosso ponto de partida para modificarmos nossa catequese para 2013. Estamos planejando com muita cautela, queremos evangelizar nossas crianças e com isso atingir as famílias que serão nosso alvo daqui para frente.
No seu roteiro este aqui:
- Conteúdos (temas e formação bíblica);
- Celebrações litúrgicas e mistagógicas (missas, entrega de símbolos, retiros, orações, Via sacra...);
- Vivencia comunitária (família, comunidade, festas, sociedade);
- Dimensão missionária (compromisso apostólico).
1 - Vamos planejar os temas dos encontros a serem trabalhados com as crianças e jovens, e montar um planejamento de temas para reunião de pais, o nosso auxílio para as ideias desses temas será muita pesquisa e o auxílio do divino espírito santo.
2 - Nas celebrações, estamos pensando em levar nossos catequizandos a participar dos momentos da missa: entrada da bíblia, dança do louvor, coralzinho, evangelho encenado. Essa ideia surgiu por que pensamos assim, se as crianças tem alguma participação nas missas, por consequência os pais os acompanharão, então a aproximação da família na missa poderá aumentar (vamos rezar para que aconteça isso).
3 - Estamos também planejando algo para levar a catequese mais próxima da sociedade, como por exemplo ajudar o asilo que no qual está passando por dificuldades, rezar na casa de pessoas enfermas, enfim, algo que estamos acostumados fazer mas agora iremos fazer com mais frequencia.
4 - E por consequência disso tudo iremos rezar e lutar para que nasça de fato o compromisso no coração das pessoas que estiverem em nossa volta.
E vocês catequistas? Quais seus planos para o próximo ano?

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Chaveirinho de Anjinho

Lembram na postagem anterior que publiquei a ideia do chaveirinho?
Pois é, abaixo está a foto e para ver detalhes como fazer é só acessar o blog da nossa querida coordenadora Lílian (CLIQUE AQUI - BLOG MIMOS DA TILILI) .

domingo, 25 de novembro de 2012

Lembrancinha de Natal - Anjinho

Fizemos um chaveiro de anjinho e damos aos nossos catequizandos como lembrancinha de fim de ano.
Fica a dica!
(foto ilustrativa)

(molde)

Cartão de Natal - Vela de Natal

Vela Luz do Natal! E esta ideia é para iluminar sua criatividade!
Gostaram da ideia?!

Cartão de Natal - Anjinho com Estrela

Mais uma ideia para meus colegas catequistas colocar em prática. Lindo não é?


Cartões de Natal - Capelinha da Sagrada Família

Algumas ideias de cartões de natal que vocês catequistas podem fazer com ou para seus catequizandos.


sábado, 24 de novembro de 2012

Cristo Rei


Cristo é uma palavra grega“Chistos”. Siguinifica“ungido”, isso é: alguém que foi capacitado para fazer coisas extraordinárias.
Por exemplo: os reis de Israel eram escolhidos por Deus através dos profetas que os ungiam para serem bons reis.
As pessoas que conheciam Jesus, diziam: Será que Ele é o Cristo de Deus? Nós sabemos a resposta: sim! Ele é! Pois Ele morreu por nós na Cruz, nos salvou, venceu a morte e ressuscitou. Ele vive e reina para sempre, seu reino não terá fim! Huhúúú!!!
Jesus disse: Meu Reino não é desse mundo.
Isso é muuuuuito importante:O Reino de Jesus, começa no coração da gente e continua no Céu…
Senhor, seja o Rei do meu coração… Peraí, mas como?
Primeiro é preciso entender como é o Reino de Jesus…
Como é o Reino de Jesus?
É um reino de amor, bondade, perdão, verdade…Você topa lutar para viver assim também por amor a Jesus? A Eucaristia nos ajuda, pois quanto mais recebemos Jesus, mais nos parecemos com Ele… É um milagre!
Entendeu: onde há amor e bondade, alí acontece o reino de Jesus.
Na história, muitos que não eram lá chegados em perdoar, amar, respeitar a vida de todos fizeram guerra a Jesus e seus seguidores. Começando pelos imperadores de Roma que queriam ser adorados como deuses e sairam matando a torto e direito os suditos do reino de Jesus, os primeiros cristãos…
Você daria a vida por Jesus? É sério… Tipo Santa Restituta…
Durante a segunda guerra mundial, os nazistas diziam que Jesus não mandava mais nada nesse mundo e deram a ordem de tirar os crucifixos dos locais públicos. Restituta recebeu essa ordem também: arrancar os crucifixos do hospital onde trabalhava. Ela sabia que estavam tentando destruir o reino de Deus e não aceitou isso, enfrentou os nazistas com grande coragem. (Fonte: Amigos do Céu)
Vamos Colorir?


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Advento

O Tempo do Advento
1. História do Advento


Não é fácil precisar a história e o primitivo significado do Advento; além disso,as noticias sobre suas verdadeiras origens são parcas .É necessário distinguir elementos que dizem respeito a práticas ascéticas e a outras, de caráter estritamente litúrgico; um Advento que é preparação para o Natal e um Advento que celebra a vinda gloriosa de Cristo ( Advento escatológico). No Oriente, permaneceu quase ignorado um período de preparação ao Natal.



Portanto, o Advento é próprio do Ocidente. São descartadas totalmente as teorias que atribuem o Advento a São Pedro e sua existência aos tempos de Tertuliano e São Cipriano.O testemunho mais antigo encontra-se em uma passagem de Santo Hilário (por volta de 366)que diz:"Sancta Mater Ecclesia Salvatoris adventus annuo recursu per trium septimanarum sacretum spatium sivi indicavit"(CSEL,65,16)"A santa mãe igreja oferece um espaço sagrado de três semanas por ano para a vinda do Salvador" .



O duplo caráter do Advento, que celebra a espera do Salvador na glória e a sua vinda na carne,emerge das leituras bíblicas festivas .O primeiro domingo orienta para parusia final,o segundo e o terceiro chamam a atenção para a vinda cotidiana do Senhor; o quarto domingo prepara-nos para a natividade de Cristo ao mesmo tempo fazendo dela a teologia e a história. Portanto, a liturgia contempla ambas as vindas de Cristo, em íntima relação entre si. 



2. Espiritualidade do Advento



Toda a liturgia do Advento é apelo para se viver alguns comportamentos essenciais do cristão: a expectativa vigilante e alegre, a esperança, a conversão, a pobreza.



a) A expectativa vigilante e alegre caracteriza sempre o cristão e a Igreja, porque o Deus da revelação é o Deus da promessa, que manifestou em Cristo toda a sua fidelidade ao homem: "Todas as promessas de Deus encontram nele seu sim" ( 2 Cor 1,20). A esperança da Igreja é a mesma esperança de Israel, mas já realizada em Cristo. 



Os nossos primeiros irmãos na fé, como atesta a Didaqué, imploravam: "Que o Senhor venha e passe afigura deste mundo. Maranatha. Amém". Assim termina o livro do Apocalipse e toda a escritura:"Aquele que atesta essas coisas diz: Sim! venho muito em breve. Amém! Vem Senhor Jesus. A graça do Senhor Jesus esteja com todos. Amém"(Ap 22,20).



A expectativa vigilante é acompanhada sempre pelo convite à alegria. O Advento é tempo de expectativa alegre porque aquilo que se espera certamente acontecerá. Deus é fiel. A vinda do Salvador cria um clima de alegria que a liturgia do Advento não só relembra, mas quer que seja vivida.O Batista, diante de Cristo presente em Maria, salta de alegria no seio da mãe.O nascimento de Jesus é uma festa alegre para os anjos e para os homens que ele vem salvar (cf. Lc 1, 44.46-47; 2,10.13-14).



b) No Advento, toda a Igreja vive a sua grande esperança. O Deus da revelação tem um nome:"Deus da esperança"(Rm15,13).



Não é o único nome do Deus vivo, mas é um nome que o identifica como "Deus para conosco".O Advento é o tempo da grande educação à esperança: uma esperança forte e paciente; uma esperança que aceita a hora da provação, da perseguição e da lentidão no desenvolvimento do Reino; uma esperança que confia no Senhor e liberta das impaciências subjetivistas e do frenesi do futuro programado pelo homem.



Na convocação ao testemunho da esperança, a Igreja, no Advento, é confortada pela figura de Maria, a mãe de Jesus.Ela que "no céu, glorificada em corpo e alma, é a imagem e a primícia da Igreja...brilha também na terra como sinal de segura esperança e de consolação para o povo de Deusa caminho, até que chegue dia do Senhor" (cf. 2 Pd 3,10).



c) Advento ,tempo de Conversão. Não existe possibilidade de esperança e de alegria sem retornar ao Senhor de todo coração, na expectativa da sua volta.A vigilância requer luta contra o torpor e a negligência; requer prontidão e, portanto, desapego dos prazeres e bens terrenos. O cristão, convertido a Deus, é filho da luz e, por isso, permanecerá acordado e resistirá às trevas, símbolo do mal, pois do contrário corre o risco de ser surpreendido pela parusia. 



Esse comportamento de vigilante espera na alegria e na esperança exige sobriedade, isto é, renúncia aos excessos e a tudo aquilo que possa desviar-nos da espera do Senhor.A pregação do Batista, que ressoa no texto do evangelho do segundo domingo do Advento, é apelo para a conversão, a fim de preparar os caminhos do Senhor.



O espírito de conversão , próprio do Advento, possui tonalidades diferentes daquelas relembradas na Quaresma. A substância é essencialmente a mesma, mas, enquanto a Quaresma é marcada pela austeridade da reparação do pecado, o Advento é marcado pela alegria da vinda do Senhor.



d) Enfim, um comportamento que caracteriza a espiritualidade do Advento é o do pobre. Não tanto o pobre em sentido econômico, mas o pobre entendido em sentido bíblico: aquele que confia em Deus e apóia-se totalmente nele. Estes anawîm , como os chama a Bíblia, São os mansos e humildes , porque as suas disposições fundamentais são a humildade, o temor de Deus, a fé. 



Eles são objeto do amor benévolo de Deus e constituem as primícias do "povo humilde"( cf. Sf 3,12) e da "Igreja dos pobres" que o Messias reunirá. Jesus proclamará felizes os pobres e neles reconhecerá os herdeiros privilegiados do Reino, ele mesmo será pobre. Belém, Nazaré, mas sobretudo a cruz, são diversas formas com que Cristo manifestava-se como autêntico "pobre do Senhor". Maria emerge como modelo dos pobres do Senhor, que esperam as promessas de Deus, confiam nele e estão disponíveis, com plena docilidade, à atuação do plano de Deus. 
Autor: Padre Gian Luigi Morgano

domingo, 18 de novembro de 2012

Presépio: Com explicação e para colorir












Gostaram da explicação dos personagens do presépio?
Agora vamos rezar uma Ave Maria para o pai da Cláudia (do blog Catequese na Net) que está hospitalizado a 8 dias em estado grave, após ter sofrido um AVC...

"Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois Vós entre as mulheres, bendito é o fruto em Vosso ventre, Jesus.
Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós os pecadores, agora e na hora da nossa morte.
Amém."

sábado, 17 de novembro de 2012

Parabéns Vovó Dorlice!

Hoje é um dia muito especial!
É aniversário da minha avó!
É uma pessoa única, já deu para perceber pelo nome, por que acredito eu que esse nome foi escolhido somente para ela rsrs.
Uma pessoa que possui um nome tão diferente e único deveria ser mesmo uma pessoa especial e inesquecível, e assim é minha vó!
Vó Dorlice é uma grande mulher que carrega uma história emocionante, que viraria um belo e merecido filme.
Minha vó foi a primeira catequista que tive, pois desde pequenininho ela me levava a missa toda semana, e o que sou hoje, devo muito a ela!
Peço a Deus que nunca deixe faltar a alegria que minha vó possui, que nunca deixe faltar saúde, e tudo que a faz feliz.
Parabéns Vovó Dorlice!

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Teatro de Natal: O boi e o burro a caminho de Belém!

Nossas crianças receberam Jesus Eucarístico no último domingo dia 11/11 e quem disse que a catequese acabou por conta disso? Aí muitos catequistas perguntam: Mas as crianças não voltam mais.
Aí eu, catequista Jonathan respondo: Me desculpem mas não voltam por que vocês não querem. Nas celebrações de primeira eucaristia, os catequistas dão a lembrancinha no final da missa, e isso não fazemos, primeiro por que vira tumulto e outro por que precisamos mostrar aos catequizandos que a catequese não termina após receber Jesus e sim é uma contunuação, por isso marcamos com eles que a entrega das lembrancinhas serão no próximo encontro (estrategia que funciona rsrs).
Bom mais voltar a catequese após a missa da 1ª eucaristia só por voltar não dá né?
Então, mãos a obra! Já que nossas crianças receberão Jesus pela primeira vez vamos então festejar e celebrar o nascimento de Jesus cristo, e como fazer isso?
No nosso último encontro iremos fazer um delicioso café da manhã para os catequizandos e nós catequistas já estamos até ensaiando o teatro O BOI E O BURRO, que retiramos a ideia do blog da Imaculada.
Vamos dar também um chaveirinho de um anjinho, e aí sim entraremos de férias. 
Férias essas que sou contra por ser tão longa rsrsrs.
Faça o teatro com ou para suas crianças! 

O BOI E O BURRO A CAMINHO DE BELÉM. 
CENA 1
(Surgem o Boi e o Burro, ao ritmo da música(Berceuse) dançando, descontraídos) e examinando o ambiente. Ao terminar a música, eles se colocam de cada lado do palco)
BOI: Muuuuuu!!! (mugindo). 
BURRO: Hiiiiiiiii!!! (relinchando). 
BOI: Burro, ei Burro. Você está notando qualquer coisa hoje? 
BURRO: Não estou notando nada, não, Boi! 
BOI: Você é mesmo muito burro, hein amigo? Então não está vendo que tudo está meio mudado?
BURRO: (cheirando o ar). É verdade, amigo Boi. Tudo cheira diferente por estas bandas (cheirando com barulho). 
BOI: (olhando o céu). E nunca o céu esteve tão estrelado, tão perto! (continua olhando o céu, e o Burro faz o mesmo). 
BURRO: Não é que é verdade, amigo Boi, não é que é verdade? Sou mesmo muito burro... não tinha notado antes. Está tudo muito esquisito!(mudando de tom e olhando assustado para o Boi). Será que o mundo vai acabar, hem, Boi?
BOI: Talvez comece um outro mundo!
BURRO: (triste): E nós? Haverá pastagens para nós dois no outro mundo?
BOI: Sei não! (Enquanto isso, mais um susto...)
CENA 2: 
(Entra a estrela de Belém, lentamente aos som de uma música natalina. Ela segura uma grande estrela de papelão nas mãos. O Boi e o Burro vão seguindo a estrela com os olhos)
BOI: Éhhhhh... esse lugar que era quieto, silencioso... agora...  (Ouve-se a flauta do Pastor. O Boi e o Burro olham espantados para o Pastor que toca a flauta de bambu, olhando para o céu). 
PASTOR: (Já no palco parando de tocar olhando para o céu). Oh! (nesse momento a estrela de Belém fixa a estrela de papelão bem em cima do estábulo e sai de cena)
BURRO: (Seguindo o olhar do Pastor). Oh! 
BOI: (idem). 
PASTOR: A estrela parou. 
BURRO: Parou. 
BOI: Bem em cima. 
OS DOIS: ... do nosso estábulo. 
PASTOR: (Sempre fitando a estrela).  Grande como um girassol!
BURRO: Única no céu distante!
BOI:  Com o brilho de mil estrelas...
OS TRÊS: Nunca se viu outra igual!
BOI: (Aflito). Pastor, explica! Explica por que a estrela parou bem em cima do nosso estábulo!? 
PASTOR: Mistério! Mistério, amigo Boi. Mistério que um pobre pastor não pode desvendar. 
BOI: Nem eu... 
BURRO: (Triste). Nem eu... 
(O Pastor recomeça a tocar a flauta e sai dando uma volta por trás do estábulo, desaparecendo pela esquerda, ao fundo). 
BOI: (Muito aflito, e ainda olhando para o céu). Burro! Ei burro!
BURRO: Que é boi? 
BOI: (Aproximando-se bem do Burro, e falando quase em segredo). Estou muito desconfiado. 
BURRO: De que Boi? 
BOI: (Cheio de mistério). De que ele vai nascer aqui. 
BURRO: (Escandalizado). Nem digo isto, Boi. Numa estrebaria tão suja. Tão pobre. 
BOI: Então por que tudo isto? Por que a estrela parou bem em cima?... 
BURRO: (Rápido). A estrela deve ter se enganado. 
BOI: (Correndo o estábulo). E este cheiro tão doce por toda a parte... 
BURRO: (Chegando para a cesta de capim encostada ao estábulo). Até o capim nosso de cada dia, cheira bem hoje... 
(Corre  e diz à platéia, assustado). Onde já se viu isto? Pensar que ele ia nascer aqui... (Dá um salto, indo para o meio da cena, e indo nervosamente). 
BURRO: (Assustado com a explosão do Boi, e segurando-o). Fica quieto, Boi. É bom irmos arrumando as coisas por aqui! (pega uma vassoura) Vamos fazer uma limpezinha, porque no caso de acontecer...
BOI: É mesmo (pega um pano e começa a limpar tudo, inclusive o rabo do burro e a própria cara) Vou buscar palha seca e fofa! (Eles saem e tornam a voltar segurando um pouco de palha. Cada um puxa a palha para seu lado e brigam)
BURRO: NÃO empurra, sou eu que arrumo!
BOI: Sou eu Burro, Sou eu! Saia Sou eu que quero arrumar a palhinha para o Menino!
CENA 3 – ANJOS
(Ouvem-se vários sininhos que vão aumentando de volume. Entram os anjinhos. Um, segurando uma vassoura prateada e bailando, vai varrendo a cena. O segundo carrega um jarro de água e o terceiro, uma bacia. Eles se encontram no meio do palco e o segundo anjo despeja água na bacia que é colocada perto da manjedoura. Dois outros, pegam as palhas espalhadas pelo Boi e pelo Burro, arrumando-as na manjedoura. O primeiro e o segundo anjos trazem uma toalhinha branca e colocam-na sobre as palhas. O terceiro anjo entra com um turíbulo, incensando todo o ambiente, inclusive o Boi e o Burro. Os anjinhos entram e saem num movimento contínuo e na ponta dos pés, como se dançassem. Durante toda a cena, os animais ficam estarrecidos, parados, um de cada lado, do palco. Quando o último anjinho sai, cessam os sininhos e o boi e o burro aproximam-se do estábulo)
CENA 4 
( O boi e o burro observam a transformação do ambiente)
BURRO: Eles vieram arrumar...
BOI: Tudo está tão limpinho...
BURRO: (Desconsolado, dirige-se para a platéia e encosta a cabeça em algum lugar, como se estivesse chorando)
BOI: O que é burro?
BURRO: E nós, pobres bichos, que queríamos fazer este trabalho...
BOI: (triste): Quanta pretensão!
BURRO: Não percebemos que isto era trabalho para anjos e não para um boi babento...
BOI: Nem para um burro sujo
BURRO: (conciliador) Deixa pra lá, Boi! Não vamos brigar hoje. (aproximando-se do estábulo) Tudo está pronto!
BOI: Só falta acontecer... E só nós dois aqui...
BURRO: Um burro!
BOI: um boi!
OS DOIS: Pra tamanho acontecimento!
CENA 05 – MARIA E JOSÉ
(Ao som de uma musica, entram  José e Maria, este levando Jesus debaixo do manto invisível, enquanto caminham até o palco – Música baixa, enquanto o Burro e o Boi falam). 
BOI: Oh! 
BURRO: Oh! 
BOI: (Ternamente, mas solene). Lá vem Maria lentamente carregando o mistério. 
BURRO: Parece leve como a brisa. 
BOI: Parece uma gota no capim da manhã. 
BURRO: Lá vem José. 
(Quando José e Maria chegam bem perto do estábulo, aumenta-se o volume da música. Quando entram no estábulo, cessa a música e sinhôs começam a soar. Os anjinhos chegam na ponta dos pés e, sempre bailando, fazem um círculo em torno de Maria. Eles escondem Maria que, de costas para o público, coloca o Menino Jesus na Manjedoura. Os anjinhos continuam a dançar, enquanto Maria e José se colocam na posição clássica do presépio. Ela ajoelhada e ele, no outro lado, de pé, apoiado no cajado. Os anjinhos vão se afastando e saem, sempre dançando. Um foco de luz cai sobre o Menino. Música durante toda a cena. O Boi e o Burro ficam num canto, só assistindo)
CENA 06
(O boi e o Burro aproximam-se na ponta dos pés)
BOI: Que maravilha!
BURRO: (puxando o Boi) Não se aproxime tanto! Não é bom que ele veja logo nossas caras feias...
BOI: Tem razão! Ele pode se assustar! (Maria sorri para eles)
BURRO: (Emocionado): A mãe dele está sorrindo!
BOI: Pra quem? Para nós dois?
BURRO: Éééé´! Só pode ser pra nós dois?! (Eles começam a pular de alegria. Maria sorri de novo e eles vão se aproximando com cuidado)
BOI: Acho que ele ta com frio??
BURRO:  Pois então, aqueça ele com seu bafo quente neh Boi!
BOI: (experimentando o bafo na mão) Boa idéia, Burro. Até que você ficou menos burro!
BURRO: E eu, com meu rabo, espanto as moscas
(Eles dirigem-se para a platéia e diz)
BOI: Nunca imaginei ser mais do que um boi!
BURRO: E eu então? Tão burro... Tão burro... Nunca imaginei... Nós dois, um boi e um burro, ligados para sempre ao mistério.
CENA 07
(O boi e o burro afastam-se lentamente até se colocarem nas posições clássicas do presépio, cada um de um lado, atrás do Menino Jesus. Ao som de NOITE FELIZ, pastores e pastoras, entram pelo meio do teatro, depois, os reis magos com seus presentes. Todos se ajoelham para adorar o Menino. O público pode ser orientado com antecedência para também trazer suas ofertas, que serão colocadas num cesto à frente do presépio vivo e, mais tarde doadas a  irmãos carentes.)
(Essa peça é uma adaptação da obra e Maria clara Machado. O texto original encontra-se no livro Teatro I da coleção “teatro” – editora Agir)
Personagens: Boi, Burro, estrela, Cinco anjinhos, Maria, José ,Três Reis Magos, Pastor.

Reflexão: O fogo, a água e a confiança

Enquanto termino as novidades para o nosso blog "Catequese com Crianças" trago a vocês uma linda reflexão que vi no facebook, e por falar em facebook convido a todos vocês leitores a "CLICAREM AQUI" e CURTI a nossa página no facebook.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Reflexão: “A senhora é a esposa de DEUS?"


Um menino de 10 anos estava parado na frente de uma loja de sapatos olhando a vitrine e tremendo de frio. Uma senhora aproximou-se do menino e disse-lhe: “Meu pequeno o que você está olhando com tanto interesse nesta vitrine”. O menino então respondeu : “Estava pedindo a Deus que me desse um par de sapatos”. 
A senhora o tomou pela mão e o levou para dentro da loja, pediu ao vendedor que lhe des
se meia dúzia de pares de sapatos para o menino. Perguntou ao vendedor se poderia lhe emprestar uma bacia com água e uma toalha. O vendedor trouxe-lhe rapidamente o que pediu. A senhora levou o menino à parte traseira da loja, retirou as luvas, lavou os pés do menino e secou-os com a toalha. Então o vendedor chegou com os sapatos, a senhora pôs-lhe um par deles no menino e os comprou-lhe. Juntou os outros pares e os deu ao menino. Afagou o menino na cabeça e disse-lhe: “não há dúvida que você se sente agora mais confortável”, o menino a abraçou, e quando ela já se voltava para sair, o menino com lágrimas nos olhos lhe perguntou:
“A senhora é a esposa de DEUS?"


- Lindo não é amigos leitores e catequistas? Me emocionei muito quando li esta mensagem. Quantas vezes somos testados por Deus sem ao menos perceber, e muitas vezes viramos as costas sem ao menos pensar que aquela pessoa foi colocada por Deus em nosso caminho.

Quando recebermos um pedido de ajuda, que possamos estender as mãos ao próximo, só assim seremos dignos de ser chamados filhos de Deus. - 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Missa de Primeira Eucaristia

Depois de muitos pedidos de ideias para missa de Primeira Comunhão Eucarística, estou apresentando aqui nesta postagem ideias que usamos em nossa celebração no dia 11/11.
Não tem nada de muito diferente mas talvez nossas ideias possam clarear as ideias de vocês queridos catequistas.

Comentarista: Hoje, a nossa comunidade se encontra em festa pelas crianças que irão receber pela primeira vez, o Corpo e Sangue de Jesus Cristo vivo na Santa Comunhão, e por suas famílias e catequistas que contribuíram nesta longa caminhada que fizeram até aqui. Em ação de graças, peçamos a Deus que este primeiro passo que elas estão dando hoje, seja, um de muitos que irão dar ao encontro de Cristo Eucarístico.
(Ler o comentário inicial do folheto da missa)
Fiquemos de pé e com grande alegria recebamos as crianças dos setores Dom Bosco e Padre Augusto Horta (no lugar do nome da nossa comunidade, vocês colocam o nome da sua comunidade), e nosso celebrante cantando...

Usamos os cantos da missa do CD "As Crianças Cantam" da PAULUS. Para que todos os catequizandos aprendam os cantos é preciso ter disponibilidade para no mínimo 5 ensaios, e assim fizemos.
No último ensaio nossas crianças receberam um belo pirulito doado por nossa colaboradora Luz Maura.

Canto de entrada: 

1. Aqui viemos pra juntos celebrar
    Aqui viemos também nos encontrar
    Em Jesus Cristo, nosso amigo e 
irmão
    Nossa fé e amor, vamos renovar.
REF.: No teu altar, o nosso coração
          No teu olhar, a nossa direção
          Na tua mão, todas as crianças
          No teu amor, mais vida e 
esperança.
2. Na tua casa somamos alegria
    Ao teu altar a nossa energia
    E as pessoas que amamos
    Com o teu povo hoje celebramos.
3. A nossa vida tem sentido e amor
    A nossa festa tem brilho, tem valor
    Pois nosso Deus é Pai amoroso
    Sua casa é como abraço carinhoso.

Acolhida
Sacerdote: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Todos: Amém!
Sacerdote: Na alegria, caminhamos para o Senhor. Ele nos dá o Cristo em comunhão e nos convida para recebê-lo em comunhão também com nossos irmãos.
Todos: O Senhor fez em nós maravilhas, o seu nome é santo.
Sacerdote: Sejam bem vindas todas as crianças que vão receber a primeira Eucaristia, pais, parentes, amigos e todos os fiéis que acreditam na misericórdia do Senhor. Ele que abriu seu coração cheio de amor nos conceda a paz, esperança e fé.
Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Ato Penitencial
Sacerdote: Humildemente peçamos perdão a Deus pelos nossos pecados, pelas nossas omissões, pela nossa ingratidão, enfim, por tudo que nos afasta da amizade de Deus.

Canto: 1. O teu olhar tocou meu coração
    Teu jeito meigo me falou do céu.
    Senhor, perdão, perdão!
    Elevo a Ti minhas mãos, Senhor!
2. O teu olhar tocou o meu irmão.
    Teu jeito meigo me falou do céu.
    Jesus, perdão, perdão!
    Elevo a Ti minhas mãos, Jesus!
3. O teu olhar tocou o mundo inteiro.
    Teu jeito meigo me falou do céu.
    Senhor, perdão, perdão!
    Elevo a Ti minhas mãos, Senhor!

Oração: Oremos: Derramai, ó Deus, a vossa graça em nossos corações para que, conhecendo pela mensagem do anjo a encarnação do vosso Filho, cheguemos, por sua paixão e cruz, à glória da ressurreição. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Todos: Amém

Liturgia da Palavra: Serão usadas as leituras do dia.
Salmos: Será usado o salmo do dia.

Aclamação do Evangelho:

Canto:

Vamos bater palmas, vamos aclamar
Jesus é a Palavra, vamos escutar
Aleluia, aleluia, vamos aclamar
Jesus é a vida e vem nos ensinar
Aleluia, aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho: Será usado o evangelho do dia.

Renovação das promessas do batismo
Animador: O Círio Pascal, é símbolo de Jesus ressuscitado. Com a vela acesa simbolizando a nossa fé, renovemos as promessas do batismo.
Sacerdote: Vocês livremente decidiram abraçar a fé cristã, por isso vamos renovar as promessas batismais diante da comunidade. O que aconteceu com vocês no dia do batismo?
Catequizandos: Pela graça do batismo, nos tornamos filhos de Deus, irmãos de Jesus Cristo, templo do espírito Santo e membro da igreja.
Sacerdote: Vocês crêem que Deus é o nosso Pai, que nos ama e fez tudo para o nosso bem.
Catequizando: Sim, creio.
Sacerdote: Vocês crêem que Jesus é o filho de Deus, morreu e ressuscitou?
Catequizando: Sim, creio.
Sacerdote: Cristo é a verdade e a vida. Vocês querem viver na verdade aceitando Jesus Cristo em nossa vida?
Catequizando: Sim, quero.
Sacerdote: Vocês prometem ser cristãos autênticos, viver em comunidade como Jesus viveu?
Catequizando: Sim, prometo.
Sacerdote: Se querem viver a fé, vocês podem estar seguros da vida eterna. Deus os façam mais firmes na fé, fortes na esperança e seguros na caridade, com a proteção de Maria. Assim consagremos agora nossas vidas a mãe de Jesus e nossa mãe.
Catequizandos: Maria, minha querida mãe, coloca a tua mão sobre a minha cabeça, guarda minha mente, meu coração, e todo o meu ser. Educa os meus sentimentos, para que eles sejam sempre puros. Santifica meus pensamentos, palavras e ações, a fim de que eu possa estar sempre em comunhão com Teu Filho Jesus. Daí-nos tua Bênção, ó Mãe querida, e cobre-nos com teu manto.
Amém!
Sacerdote: Cheios do Espírito Santo e conscientes desta missão a nós confiada, professemos a nossa fé, rezando:
Creio em Deus Pai todo poderoso, Criador do céu e da terra e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor. Que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus está sentado à direita de Deus Pai Todo poderoso donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos nossos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna.
Amém!

Oração da Assembleia

Usamos a oração do folheto e acrescentei as duas que cito abaixo:

A – Para que esta celebração da Eucaristia não seja a primeira e última, mas o começo de uma vida de comunhão com Deus e na comunidade, nós vos dizemos;
B – Para que os pais deem continuidade na educação religiosa de seus filhos e que a Palavra do Senhor seja motivo de transformação e luz para todos nós, nós vos dizemos;

Ofertório:

Canto:
1. Quando a gente oferece um presente
    Sempre escolhe o que tem de melhor.
    Quando a gente recebe um presente
    Sempre olha pra algo muito maior.
    Nosso Deus é amor sem medida
    Ele é a força e sentido da vida.
REF.: Nossa festa tem pão e delicadeza,
          Há partilha e amor em nossa mesa,
          Alegrias também aqui são somadas,
          Pão e vinho são dons partilhados.
2. Quando o abraço nos traz o calor
    Daquilo que o coração dá valor 
    Quando o sol da manhã aparece
    A gente fica feliz e agradece
    Porque nosso Deus oferece
    Tudo de bom pra você e pra mim.

Canto / Santo: Santo

Santo, santo, santo, santo é o Senhor.
Bendito o que vem em nome do Senhor.
Santo, santo, santo, santo é o Senhor.
Hosana, hosana, hosana nas alturas.
O céu e a terra proclamam vossa glória.
Hosana, hosana, hosana nas alturas.

Canto da Paz: 

Paz para meu irmão! Paz para minha irmã!
Esta é a paz de Deus! Esta é a paz do céu.
Na alegria um abraço, um sorriso,
Um carinho, um aperto de mão! (bis)

Comunhão:
A) 1. A mesa está preparada: pão e vinho, presença de irmãos.
    Alegria na festa esperada, é Jesus que se faz comunhão.
REF.: Eis o Cordeiro, verdadeiro de Deus! (bis)
2. Quem não se tornar uma criança, para a ceia do amor celebrar.
    Não fará sua parte no Reino, Deus quer sempre conosco contar.
3. Um amigo encontrei para sempre, este amigo é Cristo Jesus.
    É aquele que me dá coragem, minha vida, meus passos conduz.
4. Coração de criança eu tenho, para tua palavra escutar.
    Sal da terra e luz para o mundo, quero contigo testemunhar.

B) 1. Aqui, na festa da Eucaristia
    Sempre, sempre tem alegria
    Sempre, sempre tem harmonia
    Também tem muito amor.
REF.: Porque Jesus é nossa luz
          É o pão da vida, pão do 
amor
          Porque Jesus é comunhão
          É nosso irmão. (bis)
2. Aqui, na festa da Eucaristia
    Estão também os amigos
    Onde está nossa mãe Maria
    Sempre tem mais um lugar.

3. Aqui, na mesa da Eucaristia
    O centro é Cristo Jesus
    Nossa festa tem a sua luz
    Nossos passos tem seu olhar.
4. Aqui, na mesa da Eucaristia
    Renovo a minha esperança
    Aprendo a estender a mão
    A cuidar e a ter compaixão.

Canto Final:

Nossa missa terminou, já começou nossa missão
Jesus Cristo vai conosco ele é amigo e é nosso irmão
Maria, nossa mãe e companheira vai conosco caminhar
Dessa jornada todo mundo pode vir participar.
Somos missionários vamos juntos anunciar
Que Jesus é a vida, força e esperança
Ele é nossa luz, é o caminho que conduz. (bis)

Ideias: 

A) Entrada -  Nossos catequizandos entraram em fila, seguindo a seguinte ordem: Coroinhas, catequizandos que entraram de mãos juntas (forma de oração), na mão direita dos catequizandos estavam amarrados um lencinho branco. Nas músicas mais animadas os catequizandos abanavam os lenços. Seguindo a ordem, depois vieram os ministros e o padre.

B) Leituras - Pedimos os pais dos catequizandos para fazer as leituras, comentários e preces da missa. Distribuímos antecipadamente as leituras da missa para os pais escolhidos.

C) Cantos - Os cantos foram ensaiados num total de 5 dias de ensaio com todos os catequizandos. Todas as músicas foram cantadas por crianças, com auxílio dos adultos. Inclusive o salmo que é considerado difícil para cantar foi cantado por uma menina, que com sua voz angelical deu ainda ainda mais brilho a nossa celebração. A dica é disponibilidade para os ensaios.

D) - Ofertório: Levamos ao altar paramentos da eucaristia (âmbula, cálice etc). Também levamos pão decorado com galhinhas de trigo. Uma cesta de uva que foi forrada com as próprias folhas de uva e por cima as uvas roxas, ficou muito lindo o arranjo feito pela catequista Etelvina. Quem fez a entrada foram catequizandos e os pais (cada um leva alguma coisa).

E) - Entrada da Bíblia fizemos ao som da conhecida música "é como a chuva que lava".
Uma criança na frente com a bíblia, duas em seguida aspergindo água benta, duas com a vela, e uma com um pompom brilhante simbolizando a chuva.

F) - Final: O grupo de louvor da Joana apresentou uma dança com a música "Sacramento da Comunhão", as meninas dançaram sensacionalmente lindo, não ouve quem conteve as lágrimas.

Estas são algumas dicas que compartilho com meus amigos leitores e catequistas!

EM BREVE AS FOTOS!