segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Atividade sobre a Campanha da Fraternidade 2017 - Parte 3

Olá catequistas!
A 3ª parte das atividades sobre a "Campanha da Fraternidade 2017" faz com que os catequizandos reflitam sobre a maneira correta de cultivarmos a criação que Deus nos contemplou. A atividade é acompanhada com o que as crianças mais gostam... COLORIR!
Bom encontro catequistas!


domingo, 29 de janeiro de 2017

Atividade sobre a Campanha da Fraternidade 2017 - Parte 2

Olá catequistas!
Divulgo a vocês a segunda parte da série de atividades sobre a CF 2017. Nessa segunda parte, vamos voltar um pouco na história e relembrar quando ocorreu o "descobrimento do Brasil". Com as atividades, levaremos nossos catequizandos a comparar como era nosso país no ano de 1.500 e como está agora. Confira:



sábado, 28 de janeiro de 2017

Atividade sobre a Campanha da Fraternidade 2017 - Parte 1

Olá catequistas!
Dando sequência nas publicações sobre a "Campanha da Fraternidade 2017" está aqui a primeira atividade. Mas antes veja esse texto de "formação".

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017



APRESENTAÇÃO

Recebemos o dom da fé! Seguir Jesus Cristo, viver das palavras, da vida, morte e ressurreição, é graça. Cultivar a fé, exercitar-se é guardar. Guardados, cuidados pelo dom do Seguimento de Jesus que transforma e matura: plenitude da vida. Cultivar a fé e ser guardado pela fé abre para o cuidado dos irmãos e de toda a obra criada.

A Quaresma nos provoca e convoca à conversão, mudança de vida: cultivar o caminho do seguimento de Jesus Cristo. Os exercícios do cultivo que a Igreja nos propõe, no tempo da Quaresma, são aqueles que abrem nossa pessoa à graça do encontro: jejum, oração e esmola.

Jejum: esvaziamento, expropriação, libertação e não privação. O jejum abre nossa pessoa para a receptividade da vida em Cristo. Oração: súplica de exposição na tentativa de ser atingido pela misericórdia. Esmola é partilha, o amor partilhado. Deixar-se tocar pela presença do mendigo que cuida do doador.

Todos os anos, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresenta a Campanha da Fraternidade como caminho de conversão quaresmal, como itinerário do cultivo e do cuidado comunitário e social. “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” é o tema da Campanha para a Quaresma em 2017. O lema é inspirado no texto do Livro do Génesis 2,15: “Cultivar e guardar a criação”.

A Campanha tem como objetivo geral: “Cuidar da criação, de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos, à luz do Evangelho”.

Bioma quer dizer a vida que se manifesta em um conjunto semelhante de vegetação, água, superfície e animais. Uma “paisagem” que mostra uma unidade entre os diversos elementos da natureza. “Um bioma é formado por todos os seres vivos de uma determinada região, cuja vegetação é similar e contínua, cujo clima é mais ou menos uniforme, e cuja formação tem uma história comum.”

Como é extraordinária a beleza e diversidade da natureza do Brasil. Ao abordarmos os biomas brasileiros e lembrarmos dos povos originários que neles habitam, trazemos à meditação a obra benfazeja de Deus. Admirar a diversidade de cada bioma e criar relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles vivem!

Cultivar e guardar nasce da admiração! A beleza que toma o coração faz com que nos inclinemos com reverência diante da criação. A campanha deseja, antes de tudo, levar à admiração, para que todo o cristão seja um cultivador e guardador da obra criada. Tocados pela magnanimidade e bondade dos biomas, seremos conduzidos à conversão, isto é, a cultivar e a guardar.

A depredação dos biomas é a manifestação da crise ecológica que pede uma profunda conversão interior. “Entretanto, temos de reconhecer também que alguns cristãos, até comprometidos e piedosos, com o pretexto do realismo pragmático, frequentemente se omitem das preocupações pelo meio ambiente. Outros são passivos, não se decidem a mudar os seus hábitos e tornam-se incoerentes. Falta-lhes, pois, uma conversão ecológica, que comporta deixar emergir, nas relações com o mundo que os rodeia, todas as consequências do encontro com Jesus.

Viver a vocação de guardiões da obra de Deus não é algo de opcional nem um aspecto secundário da experiência cristã, mas parte essencial de uma existência virtuosa” (LS, n. 217).

Ao meditarmos e rezarmos os biomas e as pessoas que neles vivem sejamos conduzidos à vida nova. Todos nós cristãos recebemos o dom da fé e, na fé, somos despertados para o cultivo e cuidado. São Gregório Magno, em uma das suas homilias, perguntava-se: “Que gênero de pessoas são aquelas que se apresentam sem hábito nupcial? Em que consiste este hábito e como se pode adquiri-lo?”.

E a sua resposta é: “Aqueles que foram chamados e se apresentam, de alguma maneira, têm fé. É a fé que lhes abre a porta; mas falta-lhes o hábito nupcial do amor. Cultivar e guardar tem a dinâmica do amor. Somos convidados ao hábito do cuidado e do cultivo”.
O Ano Nacional Mariano celebra os 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Aparecida com os pescadores do rio Paraíba. Encontro que desperta o cuidado e fortalece o cultivo. Cuidado com o Mistério revelado e cultivo da familiaridade. Hoje, é o rio que pede cuidado e cultivo.

Maria, Mãe de Jesus, nos acompanhe no caminho de conversão! Jesus Cristo crucificado-ressuscitado que transformou todas as coisas nos desperte para participação do cuidado com a obra criada!
A todos os irmãos e irmãs, todas as famílias e comunidades, uma Abençoada Páscoa!

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília – DF
Secretário-Geral da CNBB


OBJETIVOS DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017

 Objetivo geral

Cuidar da criação, de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos, à luz do Evangelho.

Objetivos específicos

01 – Aprofundar o conhecimento de cada bioma, de suas belezas, de seus significados e importância para a vida no planeta, particularmente para o povo brasileiro.
02 – Conhecer melhor e nos comprometer com as populações originárias, reconhecer seus direitos, sua pertença ao povo brasileiro, respeitando sua história, suas culturas, seus territórios e seu modo específico de viver.
03 – Reforçar o compromisso com a biodiversidade, os solos, as águas, nossas paisagens e o clima variado e rico que abrange o chamado território brasileiro.
04 – Compreender o impacto das grandes concentrações populacionais sobre o bioma em que se insere.
05 – Manter a articulação com outras igrejas, organizações da sociedade civil, centros de pesquisa e todas as pessoas de boa vontade que querem a preservação das riquezas naturais e o bem-estar do povo brasileiro.
06 – Comprometer as autoridades públicas para assumir a responsabilidade sobre o meio ambiente e a defesa desses povos.
07 – Contribuir para a construção de um novo paradigma econômico ecológico que atenda às necessidades de todas as pessoas e famílias, respeitando a natureza.
08 – Compreender o desafio da conversão ecológica a que nos chama o nosso Papa Francisco na carta encíclica Laudato Si’ e sua relação com o espírito quaresmal.






sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Dinâmica Campanha da Fraternidade 2017

Para desenvolver o tema da Campanha da Fraternidade 2017 “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2.15) é necessário sondar das crianças o que elas sabem sobre o assunto, como elas cuidam da criação de Deus etc.
Para isso, podemos atingir o objetivo de uma maneira dinâmica. O catequista distribuirá um balão e uma ficha com uma pergunta, o catequizando dobra a pergunta e coloca dentro do balão, em seguida enche o balão e amarra.
O catequista coloca uma música bem legal e todos os catequizandos realizam a troca de balões jogando-os para cima. Não vale estourar os balões. Após a troca de balões todos sentam no chão em circulo com o balão na mão. O primeiro catequizando estoura o balão, tira a pergunta, escolhe um colega e faz a pergunta para o escolhido responder. A cada pergunta feita, o catequista junto com a turminha vai refletindo sobre as respostas.
Vejam quais perguntas podem ser feitas:
  1. O que você faz para poupar água?
  2. O que você pode fazer para poupar energia elétrica?
  3. O que você pode fazer para diminuir a produção de lixo?
  4. O que você faz para colaborar com o meio ambiente?
  5. O que você mais gosta na natureza?
  6. Você se considera parte da natureza? Por quê?
  7. Qual a importância da água?
  8. Qual a importância da terra?
  9. Para você, qual é o maior problema ambiental?
  10. A pobreza é um problema ambiental? Por quê?
  11. A superpopulação urbana é um problema ambiental? Por quê?
  12. O que você pensa sobre pássaros em gaiolas?
  13. O que você pensa sobre consumismo?
  14. Como você se sente quando vê pessoas com má postura ambiental?
  15. Qual o lugar que você mais gosta de estar? Por quê?
  16. Pra você, quais as diferenças entre viver em um ambiente urbano (cidade) e um ambiente rural (campo)?
  17. Para você, por que é tão difícil mudar hábitos e atitudes?
  18. Você acha que a catequese ajuda com o meio ambiente?
  19. Você se preocupa com o meio ambiente? Por quê?
  20. Se Jesus Cristo voltasse hoje, o que diria sobre o mundo criado por Deus e dado a nós para cuidar?

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Encontro de catequese: Cultivar e guardar a criação

Vamos contar a passagem bíblica "A criação" Gn 1,1-31 usando caixinhas como essas:

Mostraremos aos nossos catequizandos que "A criação" de Deus é um presente para nós e devemos sempre cultiva-la como forma de respeito e gratidão, sendo assim, iniciaremos nossos encontros referente a Campanha da Fraternidade 2017 desenvolvendo esse tema que é baseado no lema da campanha.

Então vamos ao passo a passo:
Na primeira caixinha o catequista irá contar a seguinte passagem: (pode ser com fantoche, pode se caracterizar de algum personagem).
Gn 1, 1-5 (1º DIA)
1No princípio Deus Criou o céu e a terra. 2A terra estava sem forma e vazia; as trevas cobriam o abismo e o espírito de Deus se movia sobre a superfície das águas. 3Deus disse: “Faça-se a luz!”. E a luz foi feita. 4Deus viu que a luz era boa e separou a luz das trevas. 5Deus chamou à luz “dia” e às trevas “noite”. E houve tarde e houve manhã: primeiro dia.

Obs.: Dentro da caixinha deve ter gravuras e até mesmo objetos como: Algodão simbolizando as nuvens do CÉU, mini globo terrestre simbolizando a TERRA, uma cartolina preta simbolizando as TREVAS, uma pombinha simbolizando o espírito de Deus, Uma lanterna ou vela simbolizando a LUZ. A medida que vai contando a passagem bíblica, o catequista vai ilustrando mostrando os objetos ou gravuras. 
Sugestão de gravuras: 



Gn 1, 6-8 (2º DIA)
6Deus disse: “Faça-se um firmamento no meio das águas para separar as águas das águas”. 7Deus fez o firmamento e separou as águas que estão debaixo do firmamento das águas que estão acima do firmamento. E assim aconteceu. 8Deus chamou ao firmamento “céu”. E houve tarde e houve manhã: segundo dia.

Obs.: Dentro da caixinha deve ter gravuras e até mesmo objetos como: Algodão simbolizando as nuvens do CÉU, mini globo terrestre simbolizando a TERRA, também pode levar uma caixinha ou saquinho com TERRA de verdade. A medida que vai contando a passagem bíblica, o catequista vai ilustrando mostrando os objetos ou gravuras. 

Gn 1, 9-13 (3º DIA)
9Deus disse: “As águas que estão debaixo do céu se reúnam num só lugar e apareça a parte seca”. E assim aconteceu. 10Deus chamou à parte seca “terra” e à massa das águas, “mar”. E Deus viu que isso era bom. 11E Deus disse: “A terra produza vegetação: plantas que deem sementes e árvores frutíferas que deem sobre a terra fruto com a própria semente, cada qual segundo sua espécie”. E assim aconteceu. 12A terra produziu vegetação: plantas que produzem semente, cada qual segundo a própria espécie, e árvores que dão fruto cada qual com sua semente, segundo a própria espécie. Deus viu que isso era bom. 13E houve tarde e houve manhã: terceiro dia.

Obs.: Dentro da caixinha deve ter gravuras e até mesmo objetos como: Copo com água simbolizando a água, Um copo com terra simbolizando a terra, galhas de plantas, sementes, frutas simbolizando a vegetação. A medida que vai contando a passagem bíblica, o catequista vai ilustrando mostrando os objetos ou gravuras.

Sugestão de gravuras:

Gn 1, 14-19 (4º DIA)
14Deus disse: “Haja luzes no firmamento do céu, para distinguir o dia da noite; sirvam de sinais para as festas, para os dias e para os anos 15e sirvam de luzes no firmamento do céu para iluminar a terra”. E assim aconteceu: 16Deus fez as duas grandes luzes, a luz maior para regular o dia e a luz menor para regular a noite, e as estrelas. 17Deus as pôs no firmamento do céu para iluminar a terra, 18para governar o dia e a noite e para separar a luz das trevas. E Deus viu que isso era bom. 19E houve tarde e houve manhã: quarto dia.

Sugestão de gravuras:
Gn 1, 20-23 (5º DIA)
20Deus disse: “Encham-se as águas de multidões de seres vivos, e pássaros voem sobre a terra, no firmamento do céu”. 21Deus criou os grandes animais aquáticos e todos os seres vivos que nadam e que enchem as águas, segundo sua espécie, e toda ave alada, segundo sua espécie. E Deus viu que isso era bom. 22Deus os abençoou, dizendo: “Sede fecundos e multiplicai-vos e enchei as águas dos mares; e os pássaros se multipliquem sobre a terra”. 23E houve tarde e houve manhã: quinto dia.

Obs.: Dentro da caixinha deve ter gravuras e até mesmo objetos como: Animais de brinquedo ou pelúcia. A medida que vai contando a passagem bíblica, o catequista vai ilustrando mostrando os objetos ou gravuras.
Sugestão de gravuras:
Gn 1, 24-31 (6º DIA)
24Deus disse: “A terra produza seres vivos segundo sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selvagens segundo sua espécie”. E assim aconteceu: 25Deus fez os animais selvagens segundo sua espécie, os animais domésticos segundo sua espécie e todos os répteis da terra segundo sua espécie. E Deus viu que isso era bom. 26Deus disse: “Façamos o ser humano à nossa imagem, como nossa semelhança; domine sobre os peixes do mar e sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre todos os animais selvagens e sobre todos os répteis que rastejam pelo chão”. 27E Deus criou o ser humano à sua imagem; à imagem de Deus o criou: homem e mulher os criou; 28Deus os abençoou e disse: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todo ser vivo que rasteja pelo chão”.
29E Deus disse-lhes: “Dou-vos toda planta que dá semente e que está em toda a terra, e toda árvore em que há fruto, que produz semente: serão vosso alimento. 30A todos os animais selvagens, a todas as aves do céu e a todos os seres que rastejam pelo chão e nos quais há um sopro de vida, eu dou como comida toda vegetação”. E assim aconteceu. 31Deus viu tudo que havia feito: era muito bom. E houve tarde e houve manhã: sexto dia.

Obs.: Dentro da caixinha deve ter gravuras e até mesmo objetos como: Animais de brinquedo ou pelúcia, bonecos simbolizando o homem e a mulher. A medida que vai contando a passagem bíblica, o catequista vai ilustrando mostrando os objetos ou gravuras.
Sugestão de gravuras:


E no final do encontro o catequista pode dar aos catequizandos um "Pirulito", vejam a sugestão:

Os catequistas que quiserem enviar fotos do encontro é só nos enviar através da nossa Fan Page #CatequeseComCrianças (CLIQUE AQUI)
Até próxima catequistas!!!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Encontro de Catequese: Meio Ambiente, tudo que Deus fez é bom

Objetivo: Aprender a cuidar da "Criação de Deus".

Material: Passamos um vídeo sobre a criação, por tanto precisamos de Tv, Dvd Cantinho da criança, bíblia para crianças;

Local: Realizamos o encontro na minha casa,  pois tenho um quintal grande e meu esposo é especialista em meio ambiente e ele conduziu a explicações as crianças.

Momento orante: Fizemos a oração inicial no quintal,  lemos o livro de Gênesis sobre "A criação".

Desenvolvimento: Explicamos sobre o que podemos fazer para melhorar o meio ambiente com ações simples em nosso dia a dia. Logo após passei o vídeo.

Ação: As crianças levaram material reciclável para confeccionarmos lembrancinhas para presentearmos as mamães.

Momento final: Oração de agradecimento pelas maravilhas do Deus.

Por Valdete Soares

Encontro de Catequese: A Família de Jesus


TEMA: A Família de Jesus.

OBJETIVO: Aprender que Jesus viveu também em uma família que nos ensina o que é amor, união, respeito, obediência a Deus, e etc.

MATERIAL: Imagem da Sagrada Família e fotos de diferentes tipos de famílias.

ACOLHIDA (VER): Qual o significado de uma família? Todas as famílias são iguais? Como a família pode influenciar no caráter de uma pessoa? Como é sua família?

JULGAR (LEITURA BÍBLICA): Lc 2,41-52

ORAÇÃO: Oração pela família.

COMPROMETENDO-SE COM JESUS (AGIR): Confeccionar um cartaz com fotos de famílias, com diferentes formações e escrever frases relacionadas ao tema.
Por Pedro Henrique

Encontro de catequese: O paralítico curado

Tema: O paralítico Curado ( Semana de atenção a pessoa com Deficiência)

Objetivo:  Convidar as crianças a se darem conta de que existem pessoas enfermas, que sofrem dores e as vezes estão presa a uma cama. Reconhecer nas pessoas portadoras de deficiência a pessoa do Cristo.  Enxergar nelas uma pessoa igual às outras, que precisam apenas de algum  tipo de atenção especial.

Material: Cartolina colorida, papelão, tubos de papel, cola, tesoura

Acolhida: Buscar m lugar saudável para realizar o encontro, com elementos que indiquem saúde: luz, árvores...

Leitura Bíblica:  Jo 5,1-15 – Cura do paralítico na piscina.

Oração: pedir aos catequizando, que lembrem de pessoas de nossa  comunidade que estão presa a uma cama ou que necessitem de cuidados especiais.


Agir: identificar na comunidade, pessoas doentes, sofredoras ou com algum tipo de paralisia ou cuidados especiais. Comente no grupo de catequese o que podemos fazer  concretamente par poder ajudá-la.

Por Edivan Araújo

Encontro de catequese: Somos filhos de Deus e fomos feitos à sua imagem e semelhança


Motivação:
  • Para quem Deus fez as coisas bonitas?
  • Por que o homem é diferente das plantas e animais?

Desenvolvimento do tema

Ler Gn. 1, 26-31; 2, 18-24

1. O homem foi feito a imagem e semelhança de Deus, isso quer dizer que o homem é diferente dos animais, porque: 
-é inteligente- pensa e fala o seu pensamento. Tem capacidade para dominar (trabalhar) a natureza;
-é livre-porque pode escolher entre o bem e o mal e sabe amar.

2. Todos os homens são iguais diante de Deus. A mulher tem o mesmo valor do homem e cada um foi feito para ajudar e ser ajudado para o outro.

3. O homem não nasce por acaso. Sempre Deus pensou com amor em cada um de nós. Preparou para nós as coisas bonitas do mundo e cuida, pessoalmente, de cada um. Cada pessoa é muito importante ao coração de Deus. Diz Deus, na Bíblia: "Ainda que a mãe se esqueça de seu filhinho, eu não me esquecerei de ti (Is 40, 15)".

Ação

Procurar cuidar do próprio corpo (Higiene)
Respeitar as pessoas.

Atividades: Levar para o encontro uma plantinha, um animalzinho e colocá-los ao lado de uma criança e deixar que os outros indiquem as diferenças. 
Trazer para o encontro um objeto (radinho, relógio...) para que os catequizandos observem a inteligência do homem que o construiu. Mostrar o aparelho desligado e depois funcionando.
Ou trazer uma figura grande, cortada em vários pedaços como se fosse um quebra-cabeça, para ser montado.

Celebração
Fazer com que os catequizandos aprendam a dialogar com Deus, o seu Pai, agradecendo o amor que Ele tem por nós.

Somos criação de Deus 

Objetivo: Na adolescência somos facilmente influenciados por nossos amigos. Nesta dinâmica, queremos mostrar que Deus deve ser a principal influência em nossa vida, e que nem sempre agir como o grupo age ou exige é saudável para cada um.

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado:
 30 minutos.

Material:
 Caneta e papel para todos os participantes

Objetivo: Na adolescência somos facilmente influenciados por nossos amigos. Nesta dinâmica, queremos mostrar que Deus deve ser a principal influência em nossa vida, e que nem sempre agir como o grupo age ou exige é saudável para cada um.

Descrição:
 Sentados em círculo, cada um recebe uma folha e uma caneta; escreve o nome e faz um desenho que represente a si mesmo (pode ser um boneco de "palitinhos" ou com detalhes), deixar uns 2 a 3 minutos, incentivar os preguiçosos e os tímidos. Observar o desenho: ele está pronto, mais ou menos, o que você gostaria de fazer?
Agora cada um passa o desenho para o colega do lado direito, pedir que ele acrescente uma coisa ao desenho, passar novamente para a direita, repetir o processo umas duas ou três vezes. Devolver o desenho ao dono.

- Observar o que foi acrescentado. Conversar sobre Deus ter nos criado (e repetir essa pergunta: o desenho está pronto, mais ou menos, o que você gostaria de fazer?). O que Deus quer de nós? E as pessoas com quem convivemos, nos influenciam? (O que elas nos dizem pode nos influenciar, o que fazem professores, amigos, acrescentam algo a nós?)

Perguntar sobre a característica que nos diferencia das outras pessoas: que temos Cristo como Salvador; desenhar um coração e uma cruz dentro dele na nossa figura. Será que estamos prontos aos olhos de Deus, o que mais falta em nós? (Deixar um minuto de oração silenciosa onde cada um deve pedir que Deus termine de "desenhá-los")


DINÂMICA PARA FECHAR O ENCONTRO

Para fechar o encontro, levei um espelho onde fui acentuando para eles que minha intenção é que eles se conhecessem como criação de Deus e como seria o rosto de Deus.
Então um a um, eu questionava assim: “Maria, você gostaria de saber como é o rosto de Deus? Eu posso te mostrar agora, você quer?” É claro que todos diziam que sim ainda um pouco assustados... então eu os levei um a um para frente do espelho e finalizava: “E aí, Deus é ou não é Lindão??” Arranquei suspiros com esse encontro. Ah, e depois que eles se viam no espelho não podiam contar para o coleguinha... assim todos se surpreenderam... porque o espelho estava camuflado. 

MÚSICA utilizada: VOCÊ É ESPECIAL – Luciana Antunes

Por Elis Cristina

Encontro de catequese: Aprendendo sobre as parábolas de Jesus


TEMA: APRENDENDO SOBRE AS PARÁBOLAS DE JESUS.

OBJETIVO: MOSTRAR ALGUMAS FORMAS DE COMO JESUS ENSINAVA

MATERIAL: CARTOLINA, BÍBLIA, FIGURAS, COLA, TESOURA, LÁPIS, CANETAS.

ACOLHIDA:HOJE VAMOS CONHECER ALGUMAS FORMAS DE COMO JESUS ENSINAVA ATRAVÉS DAS PARÁBOLAS. 
FORMAREMOS DOIS GRUPOS E TRABALHAREMOS DUAS DESSAS PARÁBOLAS.
PERGUNTAR AOS CATEQUIZANDOS QUEM SABE O QUE É UMA PARÁBOLA?  (FORMAR OS GRUPOS E DAR AS LEITURAS DAS PARÁBOLAS PARA CADA GRUPO).

LEITURA BÍBLICA, JULGAR: 1º GRUPO PARÁBOLA DO SEMEADOR,Mt13,1-9: 2º GRUPO PARÁBOLA DA OVELHA PERDIDA, Lc 15,1-7; 
LER AS PARÁBOLAS VÁRIAS VEZES DISCUTIR ENTRE O GRUPO COM A AJUDA DA CATEQUISTA, ENTENDER A LEITURA, EM SEGUIDA CONFECCIONAR CARTAZES  PARA DEPOIS APRESENTAR PARA O OUTRO GRUPO.

ORAÇÃO: CADA GRUPO FAZER UMA ORAÇÃO BASEADO NAS LEITURAS BÍBLICAS.

AGIR: APRESENTAR OS CARTAZES E EXPLICAR A PARÁBOLA A SEU ENTENDIMENTO. SE NECESSÁRIO A CATEQUISTA AJUDARÁ O GRUPO NAS EXPLICAÇÕES.

ORAÇÃO: AGRADECER A DEUS POR MAIS UM ENCONTRO, PELO QUE APRENDEMOS E PELO QUE AINDA ESTÁ POR VIR.


Por Sandra Schuincki